Injeção zero: o que é e como funciona em autoconsumo?

A energia solar é um dos tipos de energia utilizada em Portugal para obter eletricidade por parte das empresas de eletricidade, mas também é utilizada para autoconsumo, e por esta razão talvez já tenha ouvido falar de injeção zero.
Home > Blog > Injeção zero: o que é e como funciona em autoconsumo?

Se está interessado no autoconsumo, certamente desejará saber mais sobre o conceito de injeção zero, pois pode ser do seu interesse escolher o tipo certo de instalação para a sua casa. Em que consiste? Como funciona? Explicamos tudo isto neste artigo.

Autoconsumo sem abastecimento da rede. Em que consiste?

Uma excelente alternativa ao sistema tradicional de obtenção de eletricidade, em que se paga uma tarifa a uma empresa que lhe fornece uma quantidade específica de eletricidade em cada mês, é a de autoconsumo.

Cada vez mais pessoas estão a voltar-se para o autoconsumo, ou seja, sistemas que recolhem energia de fontes naturais, como o ar ou o sol, e a convertem em eletricidade, poupando nas contas de energia todos os meses.

No entanto, existem vários tipos de sistemas de autoconsumo, e a injeção zero é um deles. Com um inversor de descarga zero, os painéis solares tornam-se num sistema autossuficiente, fora da rede. Isto significa que, quando há excesso de eletricidade, esta não irá para a rede, fornecendo energia extra à empresa de eletricidade.

Os sistemas de autoconsumo fora da rede podem ser instalados em sistemas monofásicos e trifásicos, tornando-os aptos para todos os tipos de casas e empresas.

Sistemas monofásicos

Nos sistemas monofásicos é instalada uma pinça amperimétrica para determinar a intensidade da corrente de fase. Se for detetado um excesso de energia, o inversor de descarga zero é ativado.

Sistemas trifásicos

No caso dos sistemas trifásicos, de acordo com os regulamentos legais em vigor, a fase com o menor consumo deve ser considerada ao medir a amperagem necessária para evitar a descarga na rede.

A escolha certa, a escolha inteligente

Quer poupar nas suas contas de electricidade e gás? Escolher bem agora tem um nome: Eligenio

Kit solar de autoconsumo com injeção zero. Como é que funciona?

Um kit solar de descarga zero é um sistema que pode instalar em sua casa ou empresa para gerar eletricidade por conta própria, utilizando a energia do sol, e assim poupando na sua conta de eletricidade.

Este tipo de kit solar de injeção zero foi concebido para evitar que a energia excedente gerada pelo sistema seja introduzida na rede elétrica, conseguindo assim um sistema 100% autónomo e independente com o qual, se as condições necessárias estiverem reunidas, poderá ter gratuitamente a quantidade de energia de que precisa no seu dia a dia.

A instalação de painéis solares fotovoltaicos é bem conhecida por todos: os painéis solares, normalmente colocados no telhado na orientação que receberá mais horas de sol por ano, convertem a energia dos fotões em corrente elétrica que é distribuída para a instalação elétrica da sua casa, para que possa utilizar os seus eletrodomésticos.

A novidade deste sistema de autoconsumo é a incorporação de um microinversor de injeção zero, que deteta quando a energia gerada pelo sistema de autoconsumo é maior do que a energia consumida, e ativa um controlador dinâmico de potência que regula a corrente elétrica.

Desta forma, ao detetar o excesso de energia, o sistema evita não só alimentá-lo à rede, mas também um excesso improdutivo de energia. Apenas a energia que está a ser consumida é distribuída através da instalação elétrica da casa, enquanto que o resto pode ser armazenado em baterias.

Injeção zero e armazenamento de energia em baterias

Um inversor solar de descarga zero é compatível com a utilização de baterias para armazenar energia excedente. De facto, a utilização de baterias permite que a energia seja armazenada para que possa ser usada em momentos em que a energia do sol é menor, conseguindo assim um sistema completamente autossuficiente que é independente da rede elétrica.

Vantagens e desvantagens do autoconsumo com injeção zero

Se quiser comprar um inversor solar de injeção zero, deve primeiro conhecer as possíveis vantagens e desvantagens deste tipo de autoconsumo.

O inibidor de injeção zero é recomendado para alguns casos em que se procura o autoconsumo, mas as vantagens nem sempre superam os inconvenientes.

Vantagens

A principal vantagem de um kit de descarga zero é que, se tiver um sistema de autoconsumo com potência suficiente, será completamente autónomo e independente da companhia de eletricidade. Assim, a poupança que irá fazer em energia será enorme, uma vez que toda a electricidade na sua casa virá de fontes livres e renováveis, e o único dinheiro que terá de gastar será na instalação, que normalmente é amortizada após alguns anos.

Além disso, também elimina os papéise outros problemas relacionados com a aquisição de uma tarifa, visto que uma vez terminada a instalação e ativada a injeção zero do seu sistema de autoconsumo, a sua casa se tornará independente em termos energéticos.

Desvantagens

Devido às mesmas razões, em alguns casos evitar alimentar a rede da sua casa com energia solar excedente poderia ser um problema.

Por um lado, os sistemas de autoconsumo dependem de fatores climáticos, pelo que as condições meteorológicas adversas poderiam deixar a sua casa sem energia, algo que é evitado ao ter uma conexão constante com a rede. Além disso, ter um excedente descarregado na rede pode baixar a sua conta se tiver contratado uma tarifa de autoconsumo, de modo a poder gozar da tranquilidade de ter um consumo constante de energia a um preço mais baixo do que outros consumidores domésticos pagam.

Por outro lado, os sistemas de autoconsumo costumam ser bastante caros, dado que os painéis solares, o kit de injeção zero, e a mão de obra para a instalação devem ser adquiridos, e embora existam subsídios e subvenções disponíveis, é realmente necessário tempo para que este dinheiro seja amortizado.