O que são energias alternativas e que tipos existem?

As chamadas energias alternativas não são outra coisa senão energias limpas, energias renováveis ou energias verdes, ou seja, energias sustentáveis para o planeta e para o ambiente.
>
>

Em suma, estas energias podem ser definidas como aquelas obtidas a partir de recursos naturais, tais como o sol, o vento ou a água, que não poluem, dado que não geram uma pegada de carbono ou aumentam os gases com efeito de estufa, e são também inesgotáveis e ilimitadas, ou seja, podem ser utilizadas indefinidamente e nunca se esgotam.

Para além de esclarecer o que são energias alternativas, vale também a pena explicar o seu nome. São chamadas alternativas precisamente porque são uma alternativa às energias tradicionais, como os combustíveis fósseis,  recursos limitados cuja utilização também representa um risco para o planeta, aumentando o efeito de estufa e, com ele, o aquecimento global.

Tipos e exemplos de energias alternativas

São agora conhecidos mais tipos de energia alternativa do que nunca, visto que a consciência da necessidade de mudar os hábitos de consumo de energia cresce.

Algumas destas energias são mais fáceis de extrair dos recursos naturais do que outras, mas a tecnologia para obter energia melhora diariamente, de modo que cada vez mais agregados familiares e empresas poderão mudar para uma fonte de energia limpa e renovável, com a qual terão um consumo estável enquanto cuidam do planeta.

Os principais exemplos de energias alternativas seriam os seguintes:

Energia solar

A energia solar é a energia obtida da luz solar. Existem principalmente duas formas de energia solar: a fotovoltaica, em que o fluxo de fotões dos raios solares é convertido em corrente elétrica por um painel solar especial, e a térmica, em que a água é aquecida a utilizar o calor da luz solar para evitar a utilização de eletricidade ou de combustíveis fósseis.

Energia eólica

No caso da energia eólica, a fonte natural é o vento. A principal forma de aproveitamento da energia eólica são as turbinas eólicas, aerogeradores gigantes que convertem o movimento linear do vento num movimento rotativo, sendo depois convertido em eletricidade por um gerador interno.

Uma parte considerável da energia elétrica em Portugal é obtida através da energia eólica pelas companhias de eletricidade, embora existam também turbinas eólicas domésticas para obter a sua própria eletricidade a partir do vento.

Energia hidroelétrica

A energia hidroelétrica aproveita a energia cinética da água para acionar turbinas que, utilizando o mesmo sistema das turbinas eólicas, são utilizadas para gerar eletricidade.

Esta energia cinética da água pode ser obtida a partir de quedas de água naturais, tais como quedas de água e rios, ou através da construção de barragens artificiais que retêm a água, fornecendo-lhe energia potencial, e depois forçando-a através das turbinas a seguir o seu curso natural.

Energia de biomassa

A biomassa e o biogás são formas naturais de obter energia através da fermentação e combustão de matéria orgânica, tal como a que é descartada diariamente nas casas e indústrias.

Existem diferentes maneiras de utilizar a biomassa, desde a acumulação do gás obtido a partir da sua fermentação, à combustão do biogás para aquecer água e gerar vapor para acionar turbinas que, mais uma vez, são utilizadas para gerar eletricidade.

Energia geotérmica e energia maremotriz

A lista de energias alternativas pode ser muito longa, mas quando falamos das principais não podemos esquecer a energia geotérmica e a energia maremotriz.

A energia geotérmica aproveita o calor interno da Terra, que sobe de temperatura à medida que se dirige para o centro, para a trazer à superfície e utilizá-la como fonte de energia, por exemplo, para aquecer água e produzir eletricidade a partir da pressão gerada pelo vapor.

A energia das marés segue um princípio semelhante ao da energia hídrica. Neste caso, é a oscilação entre a maré alta e baixa que permite que a energia cinética da água seja utilizada para gerar eletricidade.

Energias alternativas em Portugal: qual é a situação?

O consumo de energias alternativas em Portugal aumenta, com uma maior percentagem de energia consumida proveniente de fontes renováveis todos os anos.

Os dados mostram que quase metade da energia produzida e mais de um quarto da energia consumida no país provém de fontes renováveis e limpas, colocando Portugal entre os 10 países com a maior produção de energia a partir de fontes renováveis. A tendência geral é para um aumento desta percentagem, talvez atingindo o valor desejado de consumo de energia limpa e renovável ainda mais cedo do que o esperado, o que é sem dúvida uma boa notícia.

A fonte mais importante foi a hidroelétrica, responsável por 36,9% da produção. Segue-se a energia eólica com 31,8% e a energia solar com 11,6%. O restante é dividido pelo biogás, a energia geotermal, entre outros.

Vantagens e desvantagens das energias alternativas

Vantagens

No caso das energias alternativas existem vantagens e desvantagens, como em qualquer outro campo.

As principais vantagens são bastante óbvias: a redução da pegada de carbono e dos gases com efeito de estufa, que resulta numa redução do aquecimento global, é talvez a principal vantagem.

No entanto, a redução da temperatura global não é o único benefício. A utilização de energias renováveis também resulta num ar mais limpo e saudável, rios e mares menos poluídos e, em geral, um nível ótimo de saúde tanto para o planeta como para as pessoas.

Desvantagens

Existem ainda hoje algumas desvantagens das energias alternativas. Uma delas é a dependência de fatores climáticos, porque se não houver vento ou sol suficientes, poderá haver falta de energia no país.

Além disso, algumas fontes de energia, como o hidrogénio, ainda não podem ser aproveitadas adequadamente, dado que a tecnologia necessária para as aproveitar ainda não foi totalmente desenvolvida.

As energias renováveis no mundo: uma perspetiva de futuro

Finalmente, resta apenas falar de energias alternativas e renováveis no mundo.

Portugal não é o único país que mudou as fontes a partir das quais obtém energia. Em geral, existe uma consciência global do aquecimento global e das alterações climáticas, e quase todos os países desenvolvidos tomam medidas para reduzir ao máximo a utilização de combustíveis fósseis e fontes não renováveis.

As mudanças a longo prazo levarão tempo a tornar-se aparentes, mas espera-se que até 2040 o aquecimento global tenha sido abrandado em certa medida, principalmente através da transição para as energias renováveis como principal fonte de consumo de energia a nível mundial.