Home > Blog > Quanto consome um fogão vitrocerâmico

Quanto consome um fogão vitrocerâmico

Sabendo quanto uma placa de cerâmica consome, poderá saber se esta é a opção mais adequada para a sua casa, descubra neste artigo.

Classificação energética dos fogões vitrocerâmicos

Para saber quanto consome uma placa de cerâmica, ao comprar uma, é aconselhável prestar atenção à sua classificação energética. Todos os aparelhos elétricos são rotulados para mostrar se irão consumir mais ou menos energia. Uma placa de cerâmica altamente eficiente deve ser marcada com A. Contudo, uma que consuma muita energia elétrica será marcada entre as letras F e G.

  • Placas de cerâmica eficientes: a classificação pode ser A (consumo inferior a 55% da média), B (55% – 75%), C (75% – 90% de consumo).
  • Placas de cerâmica de consumo médio: as letras atribuídas são D (90% – 100%) e E (100% – 110%). É bastante comum encontrá-los.
  • Placas de cerâmica de alto consumo: estas são as que utilizam mais eletricidade e diferenciam-se por serem F (110% – 125%) ou G (mais de 125%).

Ficha técnica dos fogões vitrocerâmicos

Após conhecer a classificação energética para verificar quanto consome uma placa cerâmica, é importante concentrar-se na ficha de dados técnicos. Desta forma, abordaremos cada um dos pontos que é essencial analisar para determinar se o aparelho que vai comprar corresponde ao que espera e se vai satisfazer as suas necessidades.

Tipo

Nesta parte principal da ficha de dados técnicos poderá ver se a placa de cerâmica é radiante ou por indução. O primeiro espalha bastante calor à sua volta e, mesmo após o desligar, continua a estar quente. Este último requer potes, panelas ou caçarolas específicas e quando colocado sobre elas, o aparelho começa a produzir calor. O calor não é irradiado, pelo que a temperatura que atinge não é tão elevada.

Comandos ou visor

Os comandos ou visor de uma placa de vitrocerâmica são aqueles que permitem ajustar a temperatura de cada uma das placas em funcionamento. Em alguns casos isto será analógico e, noutros, digital. O número pode variar de apenas 2, nos menores aparelhos de vitrocerâmica, a 5, nos maiores. Os mais comuns são os que têm 4.

Queimadores funcionando em simultâneo

Este ponto da ficha técnica de uma placa de cerâmica é importante, pois ter até 4 queimadores não significa que todos eles possam estar em funcionamento ao mesmo tempo. Neste documento, aparecerá se houver apenas 2 ou 3 (este é o mais frequente). É aconselhável ter isto em mente para evitar problemas na utilização deste aparelho.

Dimensões

As dimensões da placa de vitrocerâmica são outro ponto a destacar. É essencial tomar as medidas adequadas para caber na bancada sem ocupar muito espaço, de modo que as refeições possam ser preparadas com um certo grau de conforto.

Material

As cerâmicas de vidro são obtidas a partir da combinação de cerâmicas cristalinas e vidro tratado para resistir ao calor. Um procedimento através do qual o vidro perde a sua transparência e cristaliza 90% do material vítreo.

Cor

A cor é outro fator importante presente nas especificações técnicas dos fogões de vidro cerâmico. A cor mais comum é o preto, mas existem outras como o cinzento ou o branco que também são comercializadas. Como não são tão comuns, o seu preço é mais elevado, aumentando o custo total do aparelho, portanto, é um fator interessante a ter em conta ao escolhê-lo.

Quanto consome uma placa de indução

Para saber quanto consome uma placa de indução, é essencial ter em conta as suas dimensões e a sua classificação energética. No entanto, em termos gerais, poderíamos dizer que os fogões vitrocerâmicos que são comercializados deste tipo têm normalmente um consumo de até 90%. Por conseguinte, cairiam dentro daquilo que consideramos ser eficiente.

Isto porque, como mencionado, uma placa de indução não atinge temperaturas tão altas como as de uma placa convencional. Isto ajuda a poupar energia e a manter as contas de eletricidade baixas. No entanto, as frigideiras, tachos e panelas devem ser específicos para funcionarem de forma adequada. 

Zonas de cozeduraConsumo kWh
2 zonas de cozedura3,7 kW
3 zonas de cozedura4,6 kW
4 zonas de cozedura7,3 kW

Quanto é que uma placa de cerâmica convencional consome

O consumo de uma placa de cerâmica convencional é maior que o de uma placa de indução. Por esta razão, a sua classificação energética situa-se normalmente em torno do consumo médio. No entanto, embora possam refletir esta diferença de uma forma percetível, existem atualmente fogões de vitrocerâmica convencionais mais eficientes. Desta forma, são oferecidas melhores opções para contribuir para a poupança nas contas de eletricidade. 

Zonas de cozeduraConsumo kWh
2 zonas de cozedura3,5 kw
3 zonas de cozedura5,7 kw
4 zonas de cozedura6,6 kw

Dicas sobre como poupar no consumo de fogões de cerâmica

Agora que revimos os aspetos-chave e sabemos quanto consome uma placa de cerâmica, existem alguns truques para reduzir o seu consumo de energia. Vamos analisar cada uma destas recomendações, o que será de grande ajuda:

  • Desligar a placa minutos antes de terminar a cozedura. Como ainda estará quente, o que quer que esteja na placa continuará a cozinhar, tirando partido do calor que ainda resta. Desta forma, poupará mais energia.
  • Cobrir as panelas e escolher o calor ótimo. Por exemplo, o arroz coberto irá cozinhar mais rapidamente do que o arroz descoberto. É também importante escolher o calor certo para o tamanho da panela.

Há também outras ações que podem ser tomadas para reduzir o consumo deste tipo de aparelho, tais como desligá-lo se não estiver a ser utilizado. É verdade que é um aparelho muito conveniente e fácil de usar, mas é uma boa ideia saber quanto é que uma placa de cerâmica consome antes de a comprar, de modo a escolher a melhor e fazer um uso adequado da mesma.