Buscador
Poupe na luz e no gás!

> Blog > 10 soluções para a mudança climática
10 soluções para a mudança climática

10 soluções para a mudança climática

A nossa ação para perpetuar a espécie humana não é sustentável e tem consequências diretas no ecossistema.

A nossa forma de vida atual provoca grandes estragos ao bem-estar do planeta e altera o equilíbrio da flora e da fauna no seu ambiente natural. A nossa ação para perpetuar a espécie humana não é sustentável e tem consequências diretas no ecossistema.

Por sorte, existem cada vez mais soluções para a mudança climática a praticar. Desde reutilizar sacos de compras até ser responsável com a utilização da água, podemos ser aqueles que ajudamos a reduzir os efeitos da produção industrial e a queima de resíduos.

Que podemos fazer para travar a mudança climática?

A mudança climática, acelerada pelos abusos dos nossos sistemas, é a peça-chave que explica o aumento das secas progressivas, terrenos inundados pela descongelação dos polos, desequilíbrio dos ecossistemas e o desaparecimento de muitas espécies de animais e plantas.

O preocupante processo do aquecimento global exige que façamos a nossa parte para reverter os danos causados no planeta. Reciclar, utilizar energias renováveis e reduzir os nossos resíduos diários são algumas medidas úteis que podemos realizar.

Escolha com o génio da poupança

O Eligenio é o comparador de que necessita para poupar na sua conta de eletricidade. Deixe-nos acender a sua lâmpada!
Precisa de ajuda?

1. Utilizar iluminação mais eficiente

Como seguramente já sabemos, o tipo de iluminação que utilizamos em casa pode ser um grande obstáculo para o bom estado da Terra. Desde há várias décadas, a luz LED foi vista como uma alternativa para travar a contaminação e a produção de resíduos.

Dado que as lâmpadas LED são tão eficientes energeticamente, não só vamos poupar mais dinheiro nas faturas da eletricidade, como também podemos respirar tranquilidade ao saber que estamos a ajudar a combater a mudança climática de uma forma mais consciente.

2. Desligar equipamentos eletrónicos

Ter os equipamentos eletrónicos em funcionamento diariamente, provoca um desgaste energético que, por sua vez, aumenta as emissões de CO2 todos os anos. Como nem sempre estamos a utilizar os dispositivos eletrónicos, desligá-los pode retirar um grande peso ao planeta.

É uma boa ideia, por exemplo, desligar o computador, o telemóvel e desligar todos os eletrodomésticos possíveis antes de irmos dormir e, também, nos casos em que vamos estar fora de casa durante muito tempo. Assim reduziremos a contaminação ambiental.

3. Otimizar a água em casa

Uma forma de devolver o equilíbrio aos ecossistemas, diminuir as secas e evitar que os terrenos inundem, é ser responsável com a utilização da água. Se formos mais conscientes do consumo de água, ajudamos a que não exista escassez e menos poluição.

Ajudamos também a reduzir a nossa pegada de água ao utilizar menos água quente, escolher tomar duches em vez de banhos de banheira e fechar as torneiras sempre que não necessitemos de água. Todos estes hábitos fazem com que exista uma redução das emissões de gases de efeito estufa.

Por exemplo, um duche de cinco minutos implica poupar em volta de 3.500 litros de água por mês. O mesmo acontece se colocarmos uma máquina de lavar roupa apenas quando tivermos o cesto cheio de roupa. Esta é a forma em que temos noção que a água é, também, um luxo.

4. Reutilizar os sacos de compras

Não há dúvida que fazer uma utilização consciente dos nossos sacos de compras significa que a produção de resíduos de plástico reduz drasticamente. Inclusive, se os sacos forem de plástico, reutilizar significa que não esgotamos mais matéria-prima de forma desnecessária.

Algo que devemos ter em conta é que os sacos de plástico degradam-se em mil anos. Se queremos realmente ajudar o ambiente, temos à nossa disposição material muito resistente que nos serve para transporte os nossos alimentos aquando da sua compra.

No caso de não ter nenhum saco de compras em casa, deveremos assegurar a compra de sacos de papel sempre que possível, dado que a produção deste material é mais sustentável que o plástico e é um resíduo mais respeitoso com o ambiente.

5. Reduzir os nossos resíduos diários

A terceira razão pela qual produzimos tantas emissões de metano deve-se à alta quantidade de lixo orgânico que deitamos nos aterros. Isto quer dizer que a mudança climática acelera a passos gigantescos pela excessiva retenção de calor.

Para poder reduzir as emissões de CO2 e evitar a retenção de calor que intensifica o aquecimento global, podemos fazer uma seleção dos resíduos e dar-lhes uma utilização útil, como a criação de compostos para as plantas ou da fabricação de alimentos para animais.

Quando não podemos utilizar certos resíduos orgânicos, a queima ao ar livre é uma boa prática para reduzir as emissões de CO2 fóssil e biogénico. Todas estas práticas podem fazer com que as emissões de metano reduzem numa média de 95%.

6. Consumir produtos locais e da época

Parte da sustentabilidade que procuramos para o bem-estar do planeta consegue-se na compra e consumo de matéria-prima local que é da época. Quando apoiamos a agricultura e a venda local, atenuamos a mudança climática, além de melhorar a economia.

Temos de pensar que o transporte de mercearias por todo o planeta é um fator principal na emissão de gases de efeito estufa. Promover o desenvolvimento local sustentável quer dizer que ajudamos a preservar a biodiversidade e a reduzir o consumo energético.

7. Comprar a granel

Comprar frutas, verduras e frutos secos a granel é uma estratégia inteligente que nos ajuda a combater a utilização do plástico diariamente e, a longo prazo, obriga as indústrias a deixar de produzir um material que gera resíduos difíceis de serem eliminados sem contaminar.

Apenas em 2018 houver conhecimento que havia cerca de 85.000 toneladas de plástico a flutuar nas águas do Pacífico. A iniciativa internacional de Resíduo Zero (Zero Waste) procura diminuir ao máximo a utilização de plástico e substituí-lo por sacos ou recipientes de tecido, ou de rede.

Nós também podemos optar pela mesma prática para lutar contra a produção e geração de resíduos plásticos que estão a contaminar o meio ambiente a um ritmo acelerado. Em 2022, a lei dos resíduos e solos contaminados foi criada para esse fim.

8. Mudança para energias renováveis

Os combustíveis fósseis, como o carvão ou o petróleo, sendo os causadores de mais de 75% das emissões de gases de efeito estufa e o caso de 90% de CO2 em todo o mundo, podem ser combatidos utilizando energias renováveis que são verdes e seguras para o planeta.

O sol, a água e o vento são alguns exemplos de energias renováveis que podemos utilizar de forma responsável, sabendo que não danificamos o planeta. A ciência já explicou que em 2050 deve ser alcançada uma emissão líquida nula de gases tóxicos.

9. Escolha de meios de transporte sustentáveis

Existem atualmente muitas alternativas de transporte que podemos utilizar para deixar para trás o veículo a combustão. Os meios de transporte terrestres e marítimos que funcionam com gás natural estão a tornar-se cada vez mais populares porque diminuem a emissão de CO2.

Cuidar do tipo de transporte que utilizamos é importante, uma vez que este setor é o que mais emissões de gases de efeito estufa provoca numa rapidez extrema. Em todo o mundo, apenas os transportes gerem em volta de 20% de emissões de CO2.

10. Pôr em prática os 5 Rs

Há décadas, GreenPeace iniciou uma iniciativa que desenvolve condutas conscientes na conservação do ambiente, as chamadas 5 Rs: reduzir, reparar, recuperar, reutilizar e reciclar. As empresas, instituições e pessoas podem praticá-las por igual.

O ato de reparar, por exemplo, consiste em tentar consertar qualquer dispositivo na nossa casa antes de fazer uma compra desnecessária. Se tivermos um computador avariado, reparar a peça que está danificada poderá poupar dinheiro e dar um respiro de alívio ao ambiente.

O mesmo podemos dizer se nos concentrarmos em reciclar produtos. Levar os bens de volta a uma fábrica significa dar-lhes uma oportunidade de serem convertidos em produtos novos com utilidade. Ao reciclar papel e cartão, por exemplo, estávamos a evitar o abate de árvores em excesso.

Revisão obrigatória da caldeira: prazos e custos
Revisão obrigatória da caldeira: prazos e custos
Casa
22/02/2024
Quer saber quanto tempo tem para fazer a revisão obrigatória da caldeira? Conhece os seus custos? Descubra aqui toda a informação.
Pilha de combustível vs bateria, qual é a melhor?
Pilha de combustível vs bateria, qual é a melhor?
Tipos de Energia
22/02/2024
As pilhas de combustível e as baterias são muito utilizadas no mundo da mobilidade elétrica. Descubra aqui as suas diferenças.
Como preparar a casa para o inverno
Como preparar a casa para o inverno
Guías sobre eletricidade e gás
22/02/2024
Quer saber como preparar a casa para o inverno por si mesmo? Neste artigo contamos-lhe os segredos para se manter quente este ano.
Como fazer edifícios sustentáveis
Como fazer edifícios sustentáveis
Eficiência energética
19/02/2024
saber como fazer edifícios sustentáveis é fundamental se vamos reduzir as emissões de CO2 até 40% globalmente.
Aerotérmica ou geotérmica, qual escolher?
Aerotérmica ou geotérmica, qual escolher?
Tipos de Energia
19/02/2024
Quando se trata de encontrar o sistema renovável mais conveniente de instalar na nossa casa, surgem muitas dúvidasQuando se trata de encontrar o sistema renovável mais conveniente de instalar na nossa casa, surgem muitas dúvidas e não sabemos se optamos pela aerotérmica ou a geotérmica. Embora sejam as duas tecnologias limpas, cada uma tem a sua própria função.
Como arrefecer a casa de forma natural
Como arrefecer a casa de forma natural
Eficiência energética
19/02/2024
Quer poupar no consumo do ar condicionado? Aqui proporcionamos-lhe os melhores conselhos para arrefecer a sua casa de forma natural.