Home > Blog > Quanto é que o ferro de engomar consome

Quanto é que o ferro de engomar consome

Já se perguntou quanto é que o ferro de engomar consome? Vamos analisar o consumo de energia deste pequeno aparelho.

Classificação energética de um ferro de engomar

É importante saber o quanto o ferro consome, pois é um dos eletrodomésticos com maior peso na conta de eletricidade. Embora não seja utilizado de forma intensiva, o seu consumo por hora é consideravelmente mais elevado do que o da maioria dos outros aparelhos domésticos. Por esta razão, é muito importante conhecer as suas características para otimizar a sua utilização e evitar surpresas desagradáveis nos custos de eletricidade.

A classificação energética dos ferros varia da letra A à G, sendo a primeira a mais eficiente. Isto é indicado no rótulo, junto com a quantidade de watts utilizados por hora ou por ano, um código QR para verificar a informação e alguns ícones que indicam outras características.

Ficha técnica do ferro de engomar

Os ferros de engomar têm características chave que determinam o seu consumo de energia e o seu desempenho. Apresentamos aqui um resumo das mais importantes.

Potência

Como foi mencionado acima, os ferros consomem uma maior quantidade de energia. Isto deve-se a que a sua potência situa-se geralmente entre 1000 W e 3000 W, o que é muito superior a outros eletrodomésticos como máquinas de lavar ou aspiradores de pó, por exemplo.

Velocidade do vapor

Falamos do tempo necessário para que o aparelho aqueça até à temperatura indicada e comece a produzir vapor para engomar. Isto pode variar de alguns poucos segundos até alguns minutos, mas quanto mais rápido, menor será o consumo.

Tensão elétrica ou voltagem

A tensão elétrica ou voltagem dos ferros refere-se à diferença de potencial que existe entre dois pontos de um circuito elétrico e que faz fluir a corrente para alimentar o aparelho. No caso dos ferros vendidos na Europa, todos eles funcionam com uma tensão de cerca de 230 V, a tensão padrão nos países da União Europeia.

Capacidade do reservatório de água

Os ferros incluem pequenos reservatórios de água a partir dos quais geram o vapor que ajuda a remover as rugas da roupa. Estes reservatórios variam de 200 ml a 500 ml, embora em centros de engomagem isto possa chegar aos 2000 ml. Claro que, quanto maior for a capacidade, mais autonomia terá o aparelho quando passar a vapor e não será necessário parar para voltar a carregá-lo no meio do processo.

Modos de engomar roupas

Existem dois modos essenciais a escolher quando se trata de engomar: seco e a vapor. O primeiro só utiliza a pressão e o calor do ferro para esticar os tecidos e remover as rugas, enquanto que o segundo envolve a adição de vapor para ajudar a amaciar os tecidos. Dentro deste último, também é possível usar vapor contínuo ou jatos de vapor, segundo as características de cada roupa.

Quanto consome um ferro de engomar

Os custos da conta de eletricidade são indicados segundo os quilowatts utilizados, pelo que é conveniente conhecer o consumo dos ferros em quilowatts por hora.

PotênciaConsumo
Consumo ferro de 1800 watts1,80 kWh
Consumo ferro de 2200 watts2,20 kWh
Consumo ferro de 2400 watts2,40 kWh
Consumo de ferro superior a 2400 watts> 2,40 kWh

Dicas sobre como poupar no consumo do ferro de engomar

É importante usar o ferro com cuidado, pois qualquer excesso pode levar a surpresas desagradáveis na sua conta de eletricidade. Para isso, leve em consideração as seguintes indicações:

  • Modo ECO: se o seu ferro tem este modo, não hesite em aproveitá-lo sempre que o utilizar. Isto reduz a quantidade de vapor gerado, diminuindo o consumo.
  • Passar a ferro por lotes: quando passar a ferro, acumular a maior quantidade possível de roupa para passar uma única sessão em vez de fazê-lo de forma recorrente durante toda a semana. O custo de energia ao ligar o aparelho uma e outra vez é mais elevado do que se este for utilizado de forma contínua durante o mesmo período de tempo.
  • Local para engomar: tenha um espaço confortável e amplo onde possa esticar a roupa, deixar o ferro descansar e colocar a roupa facilmente. Se o fizer numa área muito pequena, pode demorar mais tempo em arrumar tudo, o que aumentará o consumo.
  • Ordem das roupas: comece a passar a ferro os tecidos mais leves ou mais finos que não requerem temperaturas muito altas nem muito vapor. Deixe para o final itens mais grossos, como calças de ganga ou casacos, para aproveitar o calor desde o começo e não ter de esperar que o ferro esteja muito quente para poder trabalhar.
  • Calor residual: aproveite o aparelho mesmo depois de o desligar para remover rugas em pequenos artigos como lenços ou roupa interior, que não precisam de mais do que alguns graus para se esticarem.
  • Lavagem adequada: evite detergentes abrasivos para lavar roupa e opte por detergentes mais neutros que não secam as fibras. Da mesma forma, adicione sempre amaciador de tecidos, pois facilita a passagem a ferro e reduz o tempo dedicado ao alisamento das rugas nos tecidos.
  • Horário: se tiver um contrato de eletricidade no mercado regulamentado, preste muita atenção às faixas horárias e passe a ferro durante as horas de vazio ou fins de semana. Isto fará uma enorme diferença no custo de cada quilowatt consumido.
  • Tecidos: ao comprar a sua roupa, tente escolher artigos de vestuário sem demasiada estrutura e padrões que precisem de ser passados a ferro. Da mesma forma, opte por tecidos sintéticos sempre que possível, pois estes não se vincam com facilidade.
  • Arrumação: guarde a sua roupa corretamente antes e depois de passar a ferro para evitar vincos. As melhores opções são pendurá-las em ganchos e enrolá-las, pois desta forma não ficam marcas de vincos.

Agora que sabe o quanto o seu ferro consome, pode fazer estimativas mais precisas do seu consumo de energia e adaptar os seus hábitos para o utilizar de forma eficiente. Lembre-se de que quanto mais informação tiver, melhores decisões poderá tomar, o que se traduz numa poupança económica em cada conta.